Blog

Tratamento de águas de caldeiras é imprescindível para geração de energia

Atualmente, quase 40% de toda a energia elétrica produzida no mundo é realizada através da geração de vapor a partir do carvão mineral. Mas, diferente do modelo mundial, a energia elétrica produzida no Brasil vem através da água ‘in natura’, ou seja, através das hidroelétricas que correspondem a aproximadamente 93% da sua produção. Dessa forma, passou-se a utilizar a biomassa como uma fonte nobre de geração de energia, tais como os setores de celulose e agroindústrias. Resíduos florestais (casca de pinus, eucalipto, acículas) e o bagaço de cana de açúcar deram impulso à cogeração de energia.

Para fazer melhor uso destes combustíveis na geração de eletricidade, as empresas passaram a utilizar caldeiras de alta pressão, gerando vapor para as turbinas e o vapor remanescente é utilizado nos processos industriais como agente de aquecimento, ou transportador de calor. Elas requerem água de melhor qualidade para a geração de vapor com o objetivo de preservação dos equipamentos que estão inseridos no sistema de “Utilidades”, setor da indústria onde estão o sistema de captação de água, tratamento primário e secundário da água, torres de resfriamento, caldeiras, turbo geradores e o sistema de ar comprimido.

A água para caldeiras recebe tratamento para remoção de dureza e sólidos totais há muitos anos e, à medida que as caldeiras se tornaram mais importantes, a exigência da qualidade da água também seguiu a mesma linha. Por isso, a Maxtrat Soluções Ambientais se preocupa com todo o processo de tratamento da água, passando pelo tratamento interno da caldeira e por toda a rede de vapor de condensado, buscando oferecer a melhor tecnologia aos seus clientes.

Segundo o sócio diretor da Maxtrat, Leandro Carvalho, os principais objetivos do tratamento das águas são a minimização do consumo de água e de combustível, maximização da vida útil do equipamento e da eficiência da caldeira e a utilização de produtos químicos adequados ao tipo de indústria e ao uso do vapor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *